Fotoprotetores minerais

 In Rigorosos a cuidar

Todos já sabem que a radiação solar na pele pode induzir cancro cutâneo. O processo é simples: a energia emitida sob a forma de radiação ultravioleta pode provocar mutações nos núcleos das células da epiderme, alterando-as para células malignas. Portanto devemo-nos proteger, usando filtros solares na pele exposta. Como são para serem aplicados diretamente na pele, em quantidade, e reaplicados com frequência, não devem conter substâncias irritantes ou capazes de induzir alergias.

O que são Filtros Solares

Os Filtros Solares são produtos em creme, gel, loção, spray, pó, stick que contêm ingredientes ativos capazes de absorver e/ou refletir a radiação solar, evitando que esta lese os núcleos das células da pele. Não são simples “cremes hidratantes”. Estes ingredientes ativos especiais podem ser químicos ou minerais. E claro, têm de ter a capacidade de proteger eficazmente as células da radiação nociva, quer ultravioleta B, quer ultravioleta A. Alguns têm mesmo a capacidade de proteger de outro tipo de radiações, como a infravermelha e a radiação visível, o que pode ser importante noutras condições dermatológicas, como o melasma (em que aparecem manchas na face) e no envelhecimento cutâneo precoce.

O que são Filtros Minerais

Os Filtros minerais usam na sua composição substâncias inertes (inorgânicas) para proteger a pele do sol. As mais conhecidas são o dióxido de titânio e o óxido de zinco. São incluídas nos filtros sob a forma de partículas que são depositadas à superfície da pele, cobrindo-a e reflectindo a radiação. Nos primeiros filtros solares minerais as partículas eram muito grandes e deixavam uma película branca na pele, desagradável cosmeticamente. Os filtros modernos usam partículas infinitamente pequenas – nanopartículas – que ficam transparentes e não são visíveis após aplicação. Estas nanopartículas são revestidas de forma a serem mais estáveis sob a ação direta da radiação solar e a não se alterarem ou degradarem durante a exposição solar.

Vantagens dos Filtros Minerais

São 3 as principais vantagens dos Filtros Minerais.
1. Como são partículas inertes, a probabilidade de induzirem reações alérgicas é quase nula, o que os torna particularmente indicados para as pessoas com fundo genético alérgico (com asma ou eczema atópico, por exemplo), mais susceptíveis a terem alergias de pele após a aplicação do filtro solar.

2. Também são os filtros mais indicados para as crianças abaixo dos 3 anos de idade: não só não induzem alergias como são pouco ou nada absorvidos através da pele. Faz com que o seu perfil de segurança seja muito bom: não dependem da maturidade do fígado para a sua eliminação (o que é importante em crianças muito pequenas) e não atingem concentrações no sangue capazes de alterar o funcionamento de qualquer orgão (não provocam alterações hormonais, por exemplo).

3. Finalmente e não menos importante, têm uma excelente capacidade de proteção em relação aos principais tipos de radiação, conferindo índices de proteção UVB e UVA altos. Não se degradam sob a ação do sol. E não necessitam de tempo para começar a atuar, protegem desde o momento em que se aplicam, porque refletem a radiação solar.

Não admira então que os Filtros Solares Minerais sejam a escolha preferencial em muitas condições médicas.

Dra Leonor Girão

Dermatologista

Clínica Dermatologia do Areeiro, Lisboa