Queratoses Actínicas

 In Rigorosos a cuidar

 

As Queratoses Actínicas são lesões na pele induzidas pela radiação Ultravioleta (UV), e são normalmente consideradas lesões pré-cancerígenas com potencial de se degenerarem em carcinomas epidermóides.

Muitos autores consideram as QA como Carcinoma in situ, isto é, o cancro no seu estado inicial, por partilhar com o carcinoma epidermóide características genéticas e morfológicas.

É muito frequente o aparecimento de QA, e por isso um dos motivos mais frequentes da consulta de Dermatologia.

 

Quem é mais afetado pelas Queratoses Actínicas?

As QA afetam mais frequentemente pessoas com fototipo claro (pele e olhos claros), pessoas com exposição crónica da pele aos raios UV, pacientes que receberam tratamentos como radioterapia ou fármacos imunossupressores e pacientes com queimaduras prévias.

Pensa-se que haja uma incidência em cerca de 30% da população, podendo ser diagnosticados a partir dos 20 anos e sendo mais frequentes a partir dos 50 anos.

 

Como identificar as Queratoses Actínicas?

As lesões iniciam a sua formação como pequenas placas rugosas (2-3 mm) ou crostas que se soltam ao raspar. Com o tempo evoluem para placas de maiores dimensões, vermelhas e descamativas.

Aparecem nas áreas mais expostas ao sol: face, orelhas, decote, dorso das mãos e coro cabeludo (em indivíduos calvos).

O diagnóstico é clínico e dermatológico. Também pode ser realizada uma biópsia para a confirmação histológica ou uma microscopia confocal, uma forma não invasiva de diagnóstico.

 

Como se tratam as Queratoses Actínicas?

Estas mudanças naturais são aceleradas por maus hábitos como o tabagismo, a má alimentação, o excesso de sol, o stress, entre outros.

O tratamento inclui diversas modalidades dependendo da sua dispersão:
– lesões isoladas: realizam-se tratamentos locais como a crioterapia ou com bisturi eléctrico;
– lesões generalizadas: realiza-se um tratamento no chamado “campo de cancerização”, onde se trata não só da lesão visível, mas também das lesões subjacentes.

Para o tratamento do campo de cancerização existe a opção farmacológica com medicamentos tópicos, produtos de saúde tópicos e técnicas como a terapia fotodinâmica (é aplicado creme fotossensibilizante na zona a tratar, onde é irradiada posteriormente luz visível para desencadear uma reacção biológica que elimina as células cancerígenas).

 

Como se evitam as Queratoses Actínicas?

Dado que o principal fator desencadeante das Queratoses actínicas é a radiação UV, é fundamental uma correta proteção solar, com filtros elevados que contenham princípios ativos que ajudem a prevenir ou reverter o dano causado pelas radiações UV.

 

 

Artigo “Rigorosos a Cuidar” desenvolvido em colaboração com Dra. Bita Hashtroody.

Dra. Bita Hashtroody é a diretora de Medical Affairs da Cantabria Labs. Lidera um grupo de cientistas que desenham, realizam e comunicam o aval científico de todos os produtos Cantabria Labs.